terça-feira, 20 de novembro de 2012

Nova Ilusão

“Nova Ilusão” é um chorinho de 1941, cuja composição é creditada a Claudionor Cruz (1910-1995) e Pedro Caetano(1911-1992).

Zélia Duncan que fez uma excelente gravação da música assim a define: “Lindo exemplo de choro lento, uma bela harmonia e uma poesia que adoro dizer.”

A primeira gravação de “Nova Ilusão” foi feita por Lucio Alves ainda no começo dos anos 50 e foi inspirada na melodia de “Da Cor do Pecado”, de Bororó. Com o sucesso da música “Da Cor do Pecado”, os compositores Pedro Caetano e Claudionor Cruz foram desafiados a escrever uma canção que com ela concorresse e rivalizasse. Impossibilitados de se encontrar, Pedro fez uma nova letra e Claudionor compõs outra melodia em cima da métrica da letra de Bororó. Assim nasceu “Nova ilusão”. Pedro Caetano orgulhava-se de ter recebido um prêmio de melhor letra de choro de todos os tempos por versos como:

“És um poema na terra, uma estrela no céu, um tesouro no mar,
És tanta felicidade, que nem a metade consigo exaltar”.

Em 1977 Paulinho da Viola fez uma regravação inspirada de “Nova Ilusão”.

A canção esteve na trilha sonora do filme/documentário “Nelson Gonçalves – O Filme” (2001 – Nelson Gonçalves)

NOVA ILUSÃO
(Claudionor Cruz/ Pedro Caetano)

Nova ilusão
É dos teus olhos a luz
Que ilumina e conduz
Minha nova ilusão
É nos teus olhos que eu vejo
O amor, o desejo do meu coração
És um poema na terra
Uma estrela no céu, um tesouro no mar
És tanta felicidade
Que nem a metade consigo exaltar
Se um beija-flor descobrisse
A doçura e a meiguice
Que teus lábios têm
Jamais roçaria as asas brejeiras
Por entre roseiras em jardins de ninguém
Oh, dona dos sonhos
Ilusão concebida
Surpresa que a vida
Me fez das mulheres
Há em meu coração
Uma flor em botão
Que abrirá se quiseres .

Nenhum comentário:

Postar um comentário