quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Feira de Mangaio

"Feira de Mangaio" é um baião/forró composto por Sivuca(1930-2006) e pela esposa Glorinha Gadêlha (1947).

“Feira de Mangaio” foi gravada inicialmente pelo próprio Sivuca, posteriormente incorporada ao repertório de Clara Nunes no LP “Esperança”, de 1979. Este foi um dos grandes sucessos da cantora.

"Feira de Mangaio" foi composto --quem diria-- em Nova Iorque. E mais, para os puristas ficarem horrorizados, a letra da canção de Glorinha Gadelha foi finalizada num McDonald's da Sétima Avenida.

Quem narra a gênese de "Feira de Mangaio" é a própria Glorinha Gadelha:

"Essa música começou a sair de dentro da minha alma no meio de uma aula de inglês. Aí dentro do metrô ela continuou na minha cabeça, foi crescendo. E quando cheguei no McDonald's terminei".

Á época o casal morava nos Estados Unidos. Depois, em casa, o mestre propôs uma palavrinha num único verso que a compositora considerava mal resolvido e arranjou a música. Acabou colhendo muitos dos louros do estrondoso sucesso, já que "Feira" ficou conhecida na sua voz. Glorinha não se considera cantora e sempre preferiu a pena aos palcos. Poucos sabem, mas ela tem composições interpretadas na voz de gente como Moraes Moreira, Hermeto Pascoal e Elba Ramalho.

FEIRA DE MANGAIO
(Glorinha Gadelha/Sivuca)

Fumo de rolo arreio e cangalha
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Bolo de milho broa e cocada
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Pé de moleque, alecrim, canela
Moleque sai daqui me deixa trabalhar
E Zé saiu correndo pra feira de pássaros
E foi passo-voando pra todo lugar

Tinha uma vendinha no canto da rua
Onde o mangaieiro ia se animar
Tomar uma bicada com lambu assado
E olhar pra Maria do Joá (2x)

Cabresto de cavalo e rabichola
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Farinha rapadura e graviola
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Pavio de cadeeiro panela de barro
Menino vou me embora
Tenho que voltar
Xaxar o meu roçado
Que nem boi de carro
Alpargata de arrasto não quer me levar

Porque tem um Sanfoneiro no canto da rua
Fazendo floreio pra gente dançar
Tem Zefa de purcina fazendo renda
E o ronco do fole sem parar (2x)

Eiii forró da mulestia..

Fumo de rolo arreio e cangalha
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Bolo de milho broa e cocada
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Pé de moleque, alecrim, canela
Moleque sai daqui me deixa trabalhar
E Zé saiu correndo pra feira de pássaros
E foi passo-voando pra todo lugar

Tinha uma vendinha no canto da rua
Onde o mangaieiro ia se animar
Tomar uma bicada com lambu assado
E olhar pra Maria do Joá

Mais é que tem um Sanfoneiro no canto da rua
Fazendo floreio pra gente dançar
Tem Zefa de purcina fazendo renda
E o ronco do fole sem parar

Eitaa Sanfoneiro da gota serena...

5 comentários:

  1. muito bom saber destes detalhes da composição.Jamais imaginaria que poderia ter sido composto fora do nordeste brasileiro. Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. muito bom saber destes detalhes da composição.Jamais imaginaria que poderia ter sido composto fora do nordeste brasileiro. Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. muito bom saber um pouco dessa tragetória de Sivuca e Glorinha Gadelha.

    ResponderExcluir
  4. Fantástico, compositor de qualidade compõe em qualquer lugar. Parabéns. Letra maravilhosa.

    ResponderExcluir