quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Garoto de Aluguel (Taxi Boy)

A canção "Garoto de Aluguel", também conhecida como "Taxi Boy" foi composta por Zé Ramalho (1949).

Existe uma versão de que a canção é autobiográfica e que, quando chegou ao Rio, Zé Ramalho havia trabalhado como garoto de programa. Entretanto, o próprio cantor revela " Não cheguei a ser michê, mas tinha umas meninas que dormiam comigo. A canção "Garoto de Aluguel" é autobiográfica por causa disso. Essas meninas eram estudantes que eu conhecia do tempo em que tocava com o Alceu. Eu era rato de show aqui no Rio de Janeiro. Elas gostavam dos cantores nordestinos, do jeitão da gente, meio desengonçados. Era mais a inspiração da música. Elas viam a situação em que a gente estava. Eu passei fome. Várias vezes dormi em frente ao Copacabana Palace. Mas teve uma camarada lá no Bar da Glória que, durante uns quatro meses, me deixou dormir num quarto de empregada, aquele cubículo miudinho. Era o tempo dos militares, em que assassinos, estupradores e bandidos não existiam. Existiam hippies e malucos, mas eles diziam: "Esse pessoal deixa em paz porque não é subversivo". "Nordestino sofredor" – chamavam a gente assim. Depois de servir o quartel, cheguei ao Rio preparado. As coisas que eu passei no quartel não foram moles. Antes de partir fui pra frente do espelho e disse: "Olha, cara, se você acha que é tão espertinho, vá pro Rio de Janeiro, sozinho, sem depender de ninguém". Fui com isso na cabeça. Sabia, no entanto, que com o pacote de canções alguma coisa iria acontecer. Disso eu tinha plena certeza, senão não viria."

A música foi incluída em seu disco "A peleja do diabo com o homem do céu". de 1980.

Além da gravação do autor, a canção teve algumas gravações inusiadas, como a de Carmen Costa. A última das gravações marcantes foi na voz da jovem revelação da MPB, Thais Gullin.

GAROTO DE ALUGUEL (Táxi Boy)
(Zé Ramalho)

Baby ! Dê-me seu dinheiro que eu quero viver
Dê-me seu relógio que eu quero saber
Quanto tempo falta para lhe esquecer
Quanto vale um homem para amar você
Minha profissão é suja e vulgar
Quero pagamento para me deitar
Junto com você estrangular meu riso
Dê-me seu amor que dele não preciso
Ô, ô..ô,ô
Baby ! Nossa relação acaba-se assim
Como um caramelo que chega-se ao fim
Na boca vermelha de uma dama louca
Pague meu dinheiro e vista sua roupa
Deixe a porta aberta quando for saindo
Você vai chorando e eu fico sorrindo
Conte pras amigas que tudo foi mal
Nada me preocupa de um marginal
Ô, ô..ô,ô
Baby ! Nossa relação acaba-se assim
Como um caramelo que chega-se ao fim
Na boca vermelha de uma dama louca
Pague meu dinheiro e vista sua roupa
Deixe a porta aberta quando for saindo
Você vai chorando e eu fico sorrindo
Conte pras amigas que tudo foi mal
Nada me preocupa de um marginal
Ô, ô..ô,ô
Baby, baby, baby, baby, baby, baby
ô, ô, ô, ô, ô, ô
Baby, baby, baby, baby, baby, baby
ô, ô, ô, ô, ô, ô
Baby, baby, baby, baby, baby, baby

3 comentários: