quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Chuvas de Verão

Clássico da MPB, “Chuvas de Verão” é uma composição de Fernando Lobo (1915-1996) do ano de 1949.

A canção reflete um momento: o clima de confissões amorosas que prolongavam ou encerravam romances iniciados nos ambientes das boites dos anos 40 e 50.

Uma curiosidade é que o compositor Fernando Lobo é o pai do mais do que conhecido e respeitado Edu Lobo.

A música “Chuvas de Verão”, gravada originalmente por Francisco Alves, talvez não se tornasse um clássico (isso foi reconhecido pelo próprio Fernando), não fora a versão gravada por Caetano Veloso, vinte anos depois. É claro que a beleza da composição sempre existiu, mas Caetano soube aproveitar melhor o clima de rompimento amoroso, com uma delicadeza de tratamento que faltou à gravação original.

Composta no modo menor (uma característica dos frevos-de-bloco de Recife, onde nasceuo autor) ,a canção tem seu momento culminante no verso que repete o título, definindo com lirismo e precisão a transitoriedade dos romances de ocasião.

“Chuvas de Verão” recebeu várias outras gravações, como as de Maysa, Silvio Caldas, Nelson Gonçalves, Waleska, Joyce, dentre outros.


CHUVAS DE VERÃO
(Fernando Lobo)

Podemos ser amigos simplesmente
Coisas do amor, nunca mais
Amores do passado no presente
Repetem velhos temas tão banais
Ressentimentos passam com o vento
São coisas do momento
São chuvas de verão
Trazer uma aflição dentro do peito
É dar vida a um defeito
Que se extingue com a razão

Estranho no meu peito
Estranho na minha alma
Agora eu vivo em calma
Não te desejo mais
Podemos ser amigos simplesmente
Amigos simplesmente, nada mais.

2 comentários:

  1. Sempre quis saber quem compôs, obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Lindissima!!! Bela composição: música e letra impecáveis !!!

    ResponderExcluir