terça-feira, 20 de novembro de 2012

O Poder da Criação

Este é um dos mais extraordinários sambas resultantes da parceria João Nogueira (1941-2000) / Paulo César Pinheiro (1949).

João Nogueira, melodista requintado, foi o parceiro ideal para a rica poesia de Paulo César Pinheiro, com quem mais compôs nos últimos 20 anos de vida. "O Poder da Criação", samba letrado por Paulo César Pinheiro, era um dos preferidos de Nogueira, que gostava de cantar à capela e emocionava a todos que o ouviam pela força dramática de poesia e música e pela sua interpretação única.

Na letra do samba Paulo César Pinheiro não dispensa o auxílio luxuoso de um “laralaiá”. E sua obra mostra que não é só um recurso fácil, de amadores. Como explicar toda a beleza do “laralaiá” de “O Poder da Criação”? É síntese e transcendência, momento de inspiração: “E o povo começa a cantar laraiá: laralaiálaiá, laraiá...”. Surge depois do último verso, simbolizando uma nova canção no momento em que é criada.

Em um show de Beth Carvalho realizado no Teatro Municipal do Rio de Janeiro em 2006, Diogo Nogueira fez uma participação e uma belíssima homenagem ao pai, cantando “O Poder da Criação”.

O samba teve outros intérpretes além de João e Diogo, como Alcione e Chico Buarque.

Esteve presente na trilha da minissérie “Aquarela do Brasil” (2000 - Alcione)


O PODER DA CRIAÇÃO
(João Nogueira / Paulo Cesar Pinheiro)

Não, ninguem faz samba só porque prefere
Força nenhuma no mundo interfere
Sobre o poder da criação
Não, não precisa se estar nem feliz nem aflito
Nem se refugiar em lugar mais bonito
Em busca da inspiração
Não, ela é uma luz que chega de repente
Com a rapidez de uma estrela cadente
Que acende a mente e o coração
É faz pensar que existe uma força maior que nos guia
Que está no ar
Bem no meio da noite ou no claro do dia
Chega a nos angustiar
E o poeta se deixa levar por essa magia
E o verso vem vindo e vem vindo uma melodia
E o povo começa a cantar, lá laia laiá
Lá lá laía laiá

Nenhum comentário:

Postar um comentário