quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Menina da Ladeira

“Menina da Ladeira” é uma composição de João Evangelista Melo Fortes, conhecido artisticamente como João Só (1943-1992).

Os versos de “Menina da Ladeira” tocaram sem parar durante todo o ano de 1971. "Fico feliz de ter ficado em primeiro lugar, na frente de Jesus Cristo, do meu amigo Roberto Carlos", orgulhava-se João Só. Anos depois, Roberto Carlos continuava Rei, “Menina da Ladeira” foi regravada mais tarde em um disco de Neguinho da Beija-Flor, mas passou despercebida. João Só é lembrado somente em programas de flash back.

A canção tornou-se um sucesso inesquecível. Houve uma época que ele tentou se livrar desta homenagem que fez em 1968 para as meninas de Salvador. Consagrado por "Menina da Ladeira", ele explicava que a música tinha sido inspirada pelas ladeiras que compõe o quadro da cidade de Salvador, onde o artista passou a maior parte de sua vida. "Quando a menina que subia e descia a ladeira era a figura da universitária no tempo da faculdade trafegando pela ladeira do Bonfim e a do Pelourinho". Depois do estouro do compacto simples, em 1971, a Odeon produziu um LP e dois compactos duplos de João. Em todos incluiu “Menina da Ladeira”. Haja sucesso! "Ela ofuscava todas as outras faixas. Quando ia nas rádios, ninguém queria saber do resto do disco." João ficava calado, aproveitava para fazer shows e programas de tevê. Até que cansou. "Se eu tivesse continuado naquele ritmo de toada, estava emplacando até hoje."

João Só concebeu esta música de uma maneira muito natural e espontânea. Diz que após participar de um jantar oferecido aos profissionais de publicidade num dos restaurantes da Ribeira, onde se localizava o antigo aeroporto, começou a tocar o violão e cantar alguns versos. Já sozinho e com a casa fechando as portas, desenvolveu todo o tema da música: "Parecia até que era um trabalho antigo, conhecido". Quando chegou em casa, gravou tudo para não esquecer. No outro dia, viu que quase nada precisava ser mudado.

João Só radicalizou. Saiu da Odeon e começou a fazer samba-canção e bolero. Não deu certo. Em 1978 trocou o Rio por São Paulo, onde ficou até 1984. Voltou para Salvador. Os 12 meses ininterruptos de sucesso não garantiram ao compositor um futuro tranquilo. Até o segundo semestre de 1972, quando a música já tinha caído para o oitavo lugar, João não recebeu um centavo de direito autoral. "O autor tinha que se filiar a uma entidade que arrecadaria os direitos, mas eu não sabia", dizia. "Perdi muito dinheiro por não me cercar das pessoas certas."

MENINA DA LADEIRA
(João Só)

Menina que mora na ladeira
Que desce a ladeira sem parar
Debaixo do pé da laranjeira
Se senta prá poder descançar

Silêncio profundo a menina dormiu
Alguém quem esperava
Tão logo partiu
Partiu para sempre para o infinito
Um grito ouviu

Chorando levanta a menina
Correndo ligeiro sem parar
Debaixo do pé da laranjeira
Há sempre um alguém a esperar

Violeiro tocando estrela brilhar
Violeiro em prece
Em prece ao luar,luar
E tal noite vazia espera a menina
Tão linda não vai.

Um comentário:

  1. o que não ficou compreendido foi a história que a musica narra! quem gritou?
    porque ela chorou e correu?
    quem ela esperava ou quem esperava ela?

    ResponderExcluir