terça-feira, 20 de novembro de 2012

Linda Flor (Ai, Yoyô)

Composição de 1929, "Linda Flor" é um samba-canção composto por Henrique Vogeler( , Luiz Peixoto(1889-1973) e Marques Porto( .

O texto apresentado a seguir foi retirado de cifrantiga3.blogspot.com.

"Além de ser uma bela composição, "Linda Flor" entra para a história da música popular brasileira como o primeiro samba-canção a fazer sucesso. Mas até conquistar a preferência do público, esta composição recebeu três versões de diferentes letristas: a primeira, de Cândido Costa, com o título de "Linda flor", lançada por Dulce de Almeida na comédia A Verdade do Meio Dia e gravada por Vicente Celestino; a segunda, de Freire Júnior, com o título de Meiga Flor, gravada por Francisco Alves; e a terceira e definitiva, de Luiz Peixoto, cantada por Araci Cortes na revista Miss Brasil e no disco, com o título de Iaiá, mas que se tornou conhecida como Ai, Ioiô.
Na realidade, essa terceira versão só existiu porque Araci rejeitou as anteriores. Como a canção estava no repertório de Miss Brasil, o libretista da peça, Luiz Peixoto, teve de criar às pressas os novos versos, que foram escritos no intervalo de um ensaio, em pleno palco do Teatro Recreio.
Bem feminina, Linda Flor tem entre suas intérpretes algumas deusas da canção brasileira como Isaura Garcia, Elizeth Cardoso, Ângela Maria, Dalva de Oliveira, Zezé Gonzaga e, naturalmente, Araci Cortes, que a popularizou. Como curiosidade, para os que acham que o termo "samba-canção" só surgiu em meados dos anos trinta, reproduzimos uma nota publicada no n° 16, de 30 de março de 1929, da revista Phonoarte: "Yayá (Linda Flor), o samba canção que todos conhecem e que, no último Carnaval, foi um dos seus mais ruidosos sucessos, acha-se impresso pela Casa Vieira Machado".

Resumo: No início de 1928, Henrique Vogeler compôs uma bela melodia, na qual foi colocada uma letra algo rebuscado de Cândido Costa, cujo título era Linda Flor [...]
Ninguém, deu a mínima, mas como a música era realmente bonita, apareceu outro letrista, Freire Jr., que mudou-lhe o título para Meiga Flor. A tentativa não deu em nada. Luiz Peixoto, há muito ligado na melodia, desprezou as letras anteriores e colocou a sua, sendo a consagração.

Abaixo uma das letras que não vingou:

Meiga Flor
(Henrique Vogeler/Freire Jr.)

Meiga flor,
Não te lembras, talvez,
Das promessas de amor,
Que te fiz,
Já não crês...
Se
Queres me abandonar
Procurando negar
Que juraste a mim também
Minha ser, meu bem...

Meu amor
Por que negas, ó flor,
Sempre fui tão sincero,
Eu te quis, eu te quero...

Sei que sem ti morrerei.
És o meu ideal
Minha vida, afinal.

Aqui a segunda versão para a canção:

Linda Flor
(Henrique Vogeler/Cândido Costa)

Linda flor,
Tu não sabes, talvez,
Quanto é puro o amor,
Que me inspira; não crês...
Nem
Sobre mim teu olhar
Veio um dia pousar!...
E ainda aumenta a minha dor
Com cruel desdém!

Teu amor
Tu por fim me darás,
E o grande fervor
Com que te amo verás...
Sim
Teu escravo serei,
E a teus pés cairei
Ao te ver, minha enfim.

Felizes então, minha flor
Verás a extensão deste amor
Ditosos os dois, e unidos enfim
Teremos depois só venturas sem fim!

Aqui a versão definitiva e consagrada:

LINDA FLOR (Ai, Yoyô)
(Henrique Vogeler/Luiz Peixoto/Marques Pôrto)

Ai, Ioiô!
Eu nasci pra sofrê
Fui oiá pra você,
Meus oinho fechou!
E quando os óio eu abri,
Quis gritá, quis fugi,
Mas você,
Eu não sei por quê,
Você me chamô!

Ai, Ioiô,
Tenha pena de mim
Meu Sinhô do Bonfim
Pode inté se zangá
Se ele um dia soubé
Que você é que é,
O Ioiô de Iaiá!

Chorei toda noite
E pensei
Nos beijos de amô
Que te dei,
Ioiô, meu benzinho,
Do meu coração
Me leva pra casa
Me deixa mais não.


A belíssima "Linda Flor" esteve presente na trilha sonora das novelas "Os Ricos Também Choram (2005/2006 - Jane Duboc) e "Alma Gêmea"(2005/2006 - Gal Costa). Além disso também participou da trilha da minissérie "O Sorriso do Lagarto" (1991 - Maria Bethânia e João Gilberto)

2 comentários:

  1. ESSA MELODIA A É SEM DÚVIDA, UM CLASSICO DA MUSICA
    .
    POPULAR BRASILEIRA

    ResponderExcluir
  2. Há quem diz, que a musica e letra ( a última) faz parte do folclore baiano, Cuja letra e a seguinte: Ai Iaiá - Eu nasci pra sofré - Fui oiá pra suncê e meus zoinho fechô - E quando os zoios eu abri - quis correr quis fugir - mas não sei, porque suncê me chamou! - Ai Iaiá tenha dó de mim! - Meu senhor do Bonfim pode inté se zangá se ele um dia souber que iaiá não é o que é - a Iaiá de Ioiô.
    Ou seja: Uma sinhá branca olha para com admiração para um belo escravo.

    ResponderExcluir