quarta-feira, 21 de novembro de 2012

É D'Oxum

O afoxé "É D'Oxum" foi resultado da parceria de Gerônimo (1953) com Vevé Calazans.

A canção foi inicialmente enviada a Alcione, que a recusou por achá-la muito semelhante às canções do repertório de Clara Nunes. A fita com a música acabou parando, nas palavras do próprio Gerônimo, num "balaio da Som Livre", gravadora da Rede Globo.

De lá, foi selecionada para integrar a trilha sonora da minissérie Tenda dos Milagres, baseada na obra de Jorge Amado. Gravada pelo MPB-4, com arranjo feito por Dori Caymmi, "É d'Oxum" caiu nas graças de Dorival Caymmi, que determinou que a canção fosse a música incidental da cidade de Salvador na minissérie, em vez de uma canção do próprio Caymmi. O Buda Nagô foi profético. A partir daí, a música já teve inúmeras gravações, do próprio Gerônimo, de Gal Gosta, e hoje é praticamente um hino afetivo da cidade de Salvador, além de ser o carro-chefe da carreira de Gerônimo.

Esteve presente na trilha sonora da minisérie "Tenda dos Milagres" (1985 - MPB4) e do filme "Ó Paí, Ó" (2007 - Japuíbe).

É D'Oxum
(Gerônimo / Vevé Calazans)

Nessa Cidade Todo Mundo É d'oxum
Homem, Menino, Menina, Mulher
Toda Essa Gente Irradia Magia
Presente Na Água Doce
Presente n'água Salgada
E Toda Cidade Brilha
Seja Tenente Ou Filho De Pescador
Ou Importante Desembargador
Se Der Presente É Tudo Uma Coisa Só
A Força Que Mora n'água
Não Faz Distinção De Cor
E Toda A Cidade É d'oxum
É d'oxum, É d'oxum, É d'oxum,
Eu Vou Navegar, Eu Vou Navegar
Nas Ondas Do Mar, Eu Vou Navegar
É d'oxum, É d'oxum

Fonte: Terra Magazine.

Nenhum comentário:

Postar um comentário