quarta-feira, 21 de novembro de 2012

As Pastorinhas

No final de 1934 Braguinha, o João de Barro (1907/2006) propôs a Noel Rosa (1910/1937) numa mesa do Café Papagaio : "Noel, vamos fazer uma música com aquele ritmo das pastorinhas que desfilam em Vila Izabel na noite de Santos Reis ?" Proposta aceita, pediram lápis, papel e cafezinho e em pouco mais de meia hora compuseram "Linda Pequena" com participação de ambos tanto na letra como na melodia. Não obteve muito sucesso inicialmente, mas Braguinha fez pequenas alterações na letra e no título, mudando "moreninhas" por "pastorinhas" e "pequena" por "pastora" e o verso "pequena que tens a cor morena" por "morena da cor de Madalena" mudando o título para "Pastorinhas". Foi gravada no final de 1937 por Silvio Caldas, tendo alcançado grande sucesso, inclusive como forte candidata ao título de melhor marcha para o carnaval de 1938. Fato curioso foi o resultado inicial desse concurso promovido pela Prefeitura do Rio de Janeiro: a vencedora inicialmente foi "Touradas em Madrid" do Braguinha e Alberto Ribeiro, com "Pastorinhas" em segundo lugar; mas houve protestos com a alegação de "Touradas em Madrid" ser "paso doble" e não "marchinha". Após muita discussão a vencedora foi "Pastorinha" do mesmo Braguinha e Noel. É até hoje grande sucesso de carnaval e de público.

Inicialmente a música era conhecida como "Pastorinhas", com o passar do tempo passou a se chamar "As Pastorinhas".

AS PASTORINHAS
(Noel Rosa/João de Barro)

A estrela d'alva
No céu desponta
E a lua anda tonta
Com tamanho esplendor
E as pastorinhas
Pra consolo da lua
Vão cantando na rua
Lindos versos de amor

Linda pastora
Morena da cor de Madalena
Tu não tens pena
De mim que vivo tonto com o teu olhar
Linda criança
Tu não me sais da lembrança
Meu coração não se cansa
De sempre e sempre te amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário