quarta-feira, 21 de novembro de 2012

A Voz do Morro

Esta música foi composta por Zé Keti (19121/1999) em 1952. Na época já existia a intenção de praticar uma política de remoção de favelas, que servia ao mesmo tempo à especulação imobiliária e a um ideal de "embelezamento" e ordenação urbana que simbolizava o progresso capitalista, sob a égide da "ordem". Tentaram na favela do Jacarezinho, mas a resistência organizada dos moradores impediu. Este projeto só pôde ser plenamente implantado após o golpe de 1964, quando os militares golpistas e seus lacaios no governo do estado do Rio de Janeiro podiam fazer uso mais aberto da violência para massacrar a resistência das populações faveladas.

Os defensores da política de remoção de favelas utilizavam como arma ideológica o "argumento" de que a favela era um reduto de marginais e vagabundos, para justificar as políticas das classes dominantes. Os moradores dos morros e favelas eram, e ainda são, também excluídos do direito à expressão de suas idéias, anseios, manifestações artísticas e culturais. Em suma, do direito à voz. Zé Keti veio, em seu nome, "mostrar ao mundo que tenho valor" e assim, dar sua contribuição para desmontar o argumento ideológico da marginalidade do morador de favela.

Depois do golpe, com a repressão à imprensa, não se poderia divulgar as violências praticadas contra aqueles que resistissem à política oficial. Isso facilitou a implementação daquelas políticas. Mesmo assim, corajosamente, nosso herói desafiava em "Opinião":

"Podem me prender,
Podem me bater,
Podem até deixar-me sem comer
Que eu não mudo de opinião,
Daqui do morro, eu não saio não."

E, de fato, batiam, prendiam, deixavam sem comer e, mais do que isso, torturavam, matavam, faziam desaparecer... e queimavam os barracos dos que se recusavam a sair, como na favela da Praia do Pinto. Batiam como bateram ao invadir o espetáculo "Opinião", em São Paulo.

Extraído de Luiz Elias Sanches, Mestrando da CPDA/UFRRJ.

"A Voz do Morro" foi gravada por Jorge Goulart em 1955. Fez parte da trilha sonora do filme "Rio 40 graus", de Nelson Pereira dos Santos, onde Zé Kéti fez uma ponta como ator e a música tornou-se grande sucesso nacional. A música esteve presente ainda na trilha da novela "Insensato Coração" - samba (2011 - Marcos Sacramento).

Fonte: Paixão e Romance.

A VOZ DO MORRO
(Zé Keti)

Eu sou o samba
A voz do morro sou eu mesmo sim senhor
Quero mostrar ao mundo que tenho valor
Eu sou o rei do terreiro

Eu sou o samba
Sou natural daqui do Rio de Janeiro
Sou eu quem levo a alegria
Para milhões de corações brasileiros

Salve o samba, queremos samba
Quem está pedindo é a voz do povo de um país
Salve o samba, queremos samba
Essa melodia de um Brasil feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário